Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

desde 1979

Um blog pessoal sobre várias visões: comida, cinema, música, alguma cultura, política e o dia-a-dia.

desde 1979

Um blog pessoal sobre várias visões: comida, cinema, música, alguma cultura, política e o dia-a-dia.

Cinema | Crítica | "Carol" (2015)

por Luís Veríssimo, em 04.02.16

«E assim do nada, sem darmos conta, estamos dentro dum quadro de Edward Hopper. A cor, a luz, as pessoas, tudo faz lembrar o trabalho do pintor realista americano. E a solidão. Sobretudo, o que se vê é a solidão. A solidão daquelas duas mulheres que se amam.»

«Therese Belivet (Rooney Mara), uma empregada de um grande armazém, conhece Carol Aird (Cate Blanchett), uma mulher mais velha que se encontra a viver um momento conturbado no seu casamento. As duas tornam-se amigas, com o tempo, a ligação torna-se mais íntima, e a amizade converte-se em paixão. Mas quando a relação se torna evidente, o marido de Carol retalia pondo em causa a sua competência enquanto mãe, exigindo a guarda total da filha de ambos. É então que Carol, desesperada, desafia Therese a fazer uma longa viagem…»

«O filme “Carol” (2015) de Todd Haynes estreia em Portugal depois de no ano passado ter sido seleccionado para o Festival de Cinema de Cannes, de ter saído da Croisette com o prémio de melhor actriz, entregue a Rooney Mara, de lhe ter sido entregue a Queer Palm e de ser um dos filmes da actual temporada de prémios. Recebeu seis nomeações aos Óscares, cinco para os Golden Globes, nove para os BAFTAs e muitas mais. A realização de Haynes, a fotografia de Edward Lachman, a banda sonora de Carter Burwell e as interpretações de Cate Blanchet e Rooney Mara têm sido bastante elogiadas.»
«A solidão por vezes domina o filme. A solidão do classicismo de Haynes, ou a de cada um dos personagens, tanto do par de protagonistas, como a do marido ou a da melhor amiga. Essa solidão tende a prender a película a regras e normas, impedindo-a de se libertar e ser quem ela própria é. Esta situação é contraditória, visto as personagens lutarem avidamente para se libertarem das amarras e das convenções sociais que as enjaulam na norma imposta pelos demais. Mas tudo isto é extremamente injusto quando estamos perante a beleza que é este filme.»

4 e ½ estrelas em 5

Ler o resto da crítica aqui, no dezanove.

 

Cinema e TV | 22nd Screen Actor Guild | Vencedores

por Luís Veríssimo, em 31.01.16

Os vencedores dos Screen Actor Guild, ou simplesmente SAG, do sindicato dos actores, foram anunciados na última madrugada. E há algumas coisas a reter. Enquanto que os Oscars andam a debater sobre as questões de justiça racial, esta noite um mesmo actor, negro, não afro-americano, mas britânico levou para casa dois prémios. Idris Elba arrecadou o prémio para Melhor Actor Secundário no filme "Beasts of No Nation" e para Melhor Actor num Telefime ou Minissérie. Esta (pequena) vitória soube melhor pois são os próprios actores que votam nos SAG e só vem dar razões à horda de críticos em relação à Academia e aos seus Oscars. Algo está mal, mas o quê e mudar como?

De salientar ainda que "O Caso Spotlight" venceu o prémio para Melhor Elenco (na imagem) e Leonardo DiCaprio recebeu mais um prémio pela sua performance em "The Revenant: O Renascido". Como era esperado, Brie Larson foi considerada a Melhor Actriz por "Quarto" e Alicia Vikander a Melhor Actriz Secundária por "A Rapariga Dinamarquesa".

Em televisão a série "Orange is the New Black" continua a somar prémios, Melhor Elenco e Melhor Actriz de uma Série Cómica. O elenco da série britânica "Downton Abbey", na sua derradeira temporada, foi considerado o Melhor Elenco para uma série Dramática.

 

Cinema | Ettore Scola (1931–2016)

por Luís Veríssimo, em 21.01.16

Anteontem morreu Ettore Scola, tinha 84 anos. O realizador italiano, à esquerda na foto, deu-nos a conhecer um estranho, grotesco e invulgar realismo. Nunca me hei-de esquecer do que senti ao ver o filme "Feios, Porcos e Maus" (1976) e aquelas cenas maravilhosas e soberbas da família sentada à mesa a comer...

 

O Melhor de 2015 | Sapo

por Luís Veríssimo, em 20.01.16

Ainda não tinha falado disto porque fui-me esquencendo...

No início de Dezembro o Pedro Neves do Blogs Sapo pediu-me para escolher um filme para a iniciativa O Melhor de 2015. A escolha foi difícil, pois não me veio logo à memória e até ao final do ano ia estrear algumas coisas boas. A escolha poderia recair num filme de 2015 ou não, visto no cinema ou não. 

Como vejo muito cinema decidi estabelecer algumas regras: teria que ser um filme de 2015, visto no cinema e que me tivesse dito alguma coisa e que fosse, na verdade, bom cinema. Como estava a ter alguma dificuldade em me lembrar de algo, visto que só me vinha à cabeça porcarias, conversei com uma amiga. E, foi nessa conversa que se me fez luz. Curiosamente, vimos o filme juntos...

O resultado final foi este:

omelhorde2015.JPG

 "Táxi, de Jafar Panahi, é um filme que não é bem um filme, é um documentário que também não é, é uma ficção que é toda ela a ironia de um país e de uma vida presa num táxi pelas ruas de Teerão, Irão."

Meet the blogger

por Luís Veríssimo, em 18.01.16

MtB.JPG

Parece que dei uma entrevista ao Pedro do Sapo Blogs. Quando se abre a página principal estou lá em baixo à esquerda. Foi um nadinha difícil, acho que nunca tinha respondido a uma entrevista completa, assim desta forma. Ehehe! Mas gostei muito e foi muito divertido. O resultado final pode ser lido aqui, no blog d'A Equipa do Sapo Blogs. Destaco apenas a seguinte pergunta e respectiva resposta que me deu mais prazer:

«Se pudesses aparecer como figurante num filme, qual seria?
Talvez num dos filmes do Pedro Almodóvar. Em “A Lei do Desejo” de 1987, na cena em que a personagem de Carmen Maura, Tina Quintero, passeia por Madrid numa noite de Verão e homens do lixo lavam as ruas da cidade, a personagem pede que a reguem. Queria ser esse homem, o homem do lixo que a rega com a sua mangueira…».

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Favoritos